Três guardas prisionais agredidos numa semana na cadeia de Matosinhos

fb-share-icon0

Total de Visualizações 591 

Numa semana foram três guardas prisionais agredidos na cadeia de Matosinhos.

 

O chefe teve que receber tratamento hospitalar, pois teve o ombro lesionado, e está de baixa médica.

No espaço de cinco dias, todas as vitimas precisaram de apoio hospitalar, e  três guardas prisionais foram agredidos na cadeia de Santa Cruz do Bispo, em Matosinhos.

A primeira situação ocorreu no passado dia 27 de junho, segundo contou ao Notícias ao Minuto fonte da direção do Sindicato Nacional Corpo Guarda Prisional, quando um recluso agrediu dois guardas.

O detido, com cerca de 30 anos e visivelmente alterado, quando chegou à cadeia foi necessário colocá-lo no quarto de segurança do estabelecimento prisional devido ao seu comportamento. Ao ser encaminhado para lá, agrediu um guarda “com as unhas na cara” e a outro provocou-lhe um entorse no dedo da mão, estando este último ainda de baixa médica. Ambos necessitaram de tratamento hospitalar, segundo dá conta a mesma fonte.

A segunda situação ocorreu na sexta-feira, dia 1 de julho, quando um recluso “na casa dos 30 anos, que trabalha na cozinha” – que já esteve na cadeia de Monsanto por ser considerado violento – “começou por insultar um funcionário da empresa que serve refeições na cadeia”.

O chefe da guarda foi chamado para sanar a situação, tendo o homem sido encaminhado para os serviços clínicos da prisão. “Do nada o recluso agrediu o chefe na cara, deixando-o com as marcas das unhas e envolveu-se em confronto físico”, dá conta o Sindicato.

Este último recluso já agrediu três guardas prisionais desde que está na cadeia de Santa Cruz do Bispo.

Recorde-se que o Sindicato Nacional Corpo Guarda Prisional tem vindo a alertar para a falta de guardas prisionais, e de condições para esta classe, que torna estas situações mais frequentes dada a falta de recursos humanos.

 

 

TVSH 2022

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.